Sindmineradores
 
 
A ASSOCIAÇÃO

Após o fim da II Guerra e até a consolidação do Golpe Militar de 1964, caracterizou-se o chamado intervalo democrático entre a ditadura Getulista e a Militar. Justamente neste período o movimento sindical brasileiro viveu a fase áurea de suas atividades.
No período de 61 a 63, lideranças sindicais movidas pela crença na participação política dos trabalhadores por meio da organização sindical, se aproximaram das forças partidárias, apegando-se à estrutura oficial e à equipe governamental, de modo a reduzir o trabalho junto às bases, consistindo mais em um organismo meramente político do que num organismo propriamente sindical.
Assim, durante o referido período, os organismos de alianças intersindicais tiveram uma intensa atuação política. A defesa da posse de João Goulart (1961), o apoio à Revolução Cubana, a luta pela antecipação do plebiscito pelo fim do regime parlamentar (1963) e a negação do estado sítio, levaram os líderes sindicais a serem considerados o “Quarto Poder da República”.
Foi neste contexto histórico que em 15 de setembro de 1963 foi fundada a APTIETMMB – Associação Profissional dos Trabalhadores na Indústria da Extração de Talco e Magnesita do Município de Brumado.

PRIMEIRA DIRETORIA DA APTIETMMB

- Presidente: Walfrido Vieira de Carvalho
- Vice-Presidente: Antonio Castro Silva
- 1º Secretário: Martinho Santana
- 2º Secretário: Ismael Gomes Fonseca
- 1º Tesoureiro: Evandro Alves da Silva
- 2º Tesoureiro: Juvêncio Francisco da Cruz
- Diretor Social e de Esportes: Ubaldino Silva
- Conselho Fiscal: Juracy de Souza Lobo, Oséas dos Santos Galvão e Valdir Lula Silva.

O SINDICATO

Após o Golpe Militar, os sindicatos foram banidos da arena política. Suas responsabilidades se limitavam às tarefas burocráticas e atividades assistencialistas com as quais o governo já não queria mais se ocupar.
Em 1974, com o esgotamento do chamado “Milagre Brasileiro”, o governo militar é obrigado a repensar as suas estratégias para garantir a sobrevivência do regime, e assim, propõe a “abertura” política, que se daria de forma lenta e gradual.
Mas, os movimentos dos trabalhadores irromperam à cena e abalaram os arranjos que se pensavam sem eles, e juntos com os demais movimentos sociais que foram surgindo começaram a pavimentar o caminho para o processo da redemocratização.
A Associação - APTIETMMB, no embalo da ascensão sindical em meio a um regime ditatorial oscilante, ganhou força e em 22 de fevereiro de 1974 transformou-se em Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da extração de Minerais não Metálicos de Brumado – STIEMNMB.

PRIMEIRA DIRETORIA DO STIEMNMB

- Presidente: Corinto Rodrigues dos Santos
- Secretário: Antonio Pereira da Costa
- Tesoureiro: Ney Dias Lima.
- Conselho Fiscal: Cândido Queiroz Fraga, Auredino Pereira da Silva e Rosalvo Ferreira de Souza
- Suplentes do Conselho Fiscal: Altamirando Sousa e Silva, Almir Xavier de Matos e Florisvaldo Souza Marques.
- Delegados Representantes: Corinto Rodrigues dos Santos e Renan Lopes de Almeida

SOB O DESÍGNIO DA DITADURA

Embora tenha se convertido em Sindicato desde 1974, o STIEMNMB demorou a se libertar das amarras da ditadura. Até meados de 1986 seus dirigentes não tinham ainda desenvolvido a verdadeira concepção de classe e de luta, e suas prioridades se concentravam no assistencialismo, no lazer e até mesmo na prosperidade patrimonial da entidade. Contudo, as marcas das suas escritas não são menos importantes nas páginas de construção da nossa história.

TRANSIÇÃO PARA O SINDICALISMO DE LUTA.

Em 1986, com a posse de nova diretoria, o STIEMNMB começa a dar os primeiros passos rumo ao legítimo exercício da ação sindical. Cuja evolução, foi coroada com a participação ativa nas greves gerais dos dias 14 e 15 de março de 1989, convocadas pelas centrais sindicais CUT e CGT, contra medidas do Plano Verão que estabelecia congelamento de salários. Segundo as estatísticas, este movimento grevista está entre os de maiores alcance já registrado na história do País, tendo paralisado 70% do PEA.
O STIEMNMB, aqui em Brumado, durantes vários momentos do movimento grevista paralisou quase 100% da categoria, tendo como principais líderes o seu presidente Manoel Messias Neto – popular Manoel Bigode e os seus diretores Édio da Silva Pereira, Narciso Ferreira Porto, Paulo Roberto Alves Ataíde, Ailton Meira, Joaquim Pereira da Silva e Salvador dos Santos Lima.

ADOÇÃO DA VERDADEIRA CONCEPÇÃO SINDICAL

Em 1989, ocorre na diretoria do STIEMNMB uma grande renovação. A presença de companheiros já com experiência em outros movimentos sindicais e o amadurecimento de líderes destacados na gestão anterior, levou o STIEMNMB a se transformar numa trincheira de luta e defesa do conjunto dos trabalhadores.
Os trabalhadores da base, na grande maioria constituídos por empregados das empresas Magnesita S.A., Indústrias Químicas Xilolite e Ibar Nordeste, bem como toda sociedade brumadense, logo viram e sentiram o limiar de um ciclo sindical independente, combativo e qualitativo, e, sobretudo, comprometido com os interesses mais gerais da categoria e a organização dos movimentos sociais.
Há quem diga que esta diretoria atuava com amor, com ardor, com sangue e com raça.

PRIMEIRA GREVE REIVINDICATÓRIA

Em 12 de outubro de 1990, o STIEMNMB mostra a força maior da sua nova performance sindical, deflagrando a 1ª greve da categoria por melhores condições de trabalho e salários, contra a toda poderosa Magnesita S.A., e, também, contra a Ibar Nordeste do Grupo Votorantin.
Durante a paralisação, houve várias formas de intimidação por parte das empresas e da Polícia Militar, mas a maioria dos trabalhadores mantiveram firmes na luta, dando uma demonstração grandiosa do verdadeiro valor da honra e da liberdade.
Daí pra frente, as relações trabalhistas com as Empresas se deram no mais elevado patamar. O descaso com a pauta de reivindicação dos trabalhadores virou coisa do passado.

ASSESSORIAS E RELAÇÕES

Com o evoluir da vanguarda de ações, se fez necessário o estreitamento das relações com outras entidades sindicais, organismos e instituições de cunhos sociais e políticos. Gradualmente; o STIEMNMB filiou-se ao DIEESE – Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicos – instituição reconhecida como de produção científica e de credibilidade Nacional e internacionalmente, proporcionando à diretoria a fundamentação de suas pautas reivindicatórias, bem como o assessoramento no processo de negociação coletiva; filiou-se à CUT – Central Única dos Trabalhadores; participou do processo de fundação da CNTSM – Confederação Nacional dos Trabalhadores do Setor Mineral – entidade criada para intercambiar e unificar as lutas dos mineradores, tendo, inclusive, tomado parte por três vezes no seu corpo gestor, nas pessoas dos diretores Cleomenes Nunes Barreto e Juvêncio Alves da Silva Filho, como conselheiros fiscais, e de Édio da Silva Pereira, como coordenador executivo; Associou-se ao DIAP – Departamento intersindical de Assessoria Parlamentar - órgão de assessoria parlamentar dos sindicatos brasileiros, proporcionando à diretoria fiscalizar de perto o desempenho dos deputados e senadores e a acompanhar o desenvolvimento da conjuntura política nacional; inseriu-se, indiretamente, na gestão política do município, vez que o seu diretor presidente Édio da Silva Pereira, foi eleito por três vezes vereador da Câmara Municipal; filiou-se, recentemente, a uma nova central sindical – CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

GRANDE REFORMA ESTATUTÁRIA

Em 09 de março de 1994, o STIEMNMB fez uma profunda reforma no seu estatuto, adequando-o aos tempos atuais, vez que ainda continha os resquícios da intervenção ditatorial. Entre as mudanças, destaca-se o capítulo da Razão social: De Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da extração de Minerais não Metálicos de Brumado – STIEMNMB, passou para Sindicato dos Mineradores de Brumado e Microrregião – sindmine. Antes, o sindicato só podia representar os trabalhadores envolvidos diretamente no processo de extração de minerais não metálicos. Após a mudança, o sindicato se habilitou a representar a categoria em todo estágio de transformação de quaisquer bens minerais, indiferente de ser metálico ou não. Também, a base territorial que se limitava apenas ao município de Brumado, foi abrangida para a Microrregião, contemplando a representação dos municípios de Aracatu, Brumado, Caculé, Caitité, Dom Basílio, Ituaçu, Lagoa Real, Livramento de Nossa Senhora, Rio de Contas e Tanhaçu.

PRINCIPAIS CONQUISTAS

Não obstante a luta intransigente pela reposição salarial, que tem freado a queda vertiginosa no padrão de vida de seus representados, o SINDMINE não pára de buscar com bravura e perseverança a ampliação das conquistas econômicas e sociais. Dentre os benefícios conquistados para os trabalhadores destacam-se aumento real de salários; ticket de alimentação e cestas básicas; Assistência médica, inclusive para os familiares dos empregados; pagamento de horas itinerantes; refeições a baixo custo; transporte gratuito; adicional de tempo de serviço; retorno de férias; auxílio de estudo em todo o estágio escolar; adicional de periculosidade; adicional de insalubridade; adicional de turno; horas extras a 125%; pagamento de interinidade; compensação do sábado; garantia de emprego na pré - aposentadoria etc.

REPRESENTAÇÃO ATUAL

Estima-se que hoje existe na base cerca de dois mil trabalhadores, sendo que alguns ainda trabalham em regime de garimpagem, o que dificulta uma representação efetiva por parte do SINDMINE.
De fato, os representados atuais são constituídos de trabalhadores do município de Brumado e Caetité que operam nas empresas controladoras e suas subsidiarias, ei-las: Magnesita Refratários S/A; INB – Indústrias Nucleares do Brasil; Cimpor S/A; Vito Transporte Ltda.; Bahia Mineração Ltda.; CCT Ltda.; Ibar Nordeste S/A; Xilolite S/A; JAMP Ltda.; MPC Ltda.

DIRETORIA ATUAL

- Presidente: Édio da Silva Pereira
- Vice-Presidente: José Santana de Andrade
- Secretário: Francelino Cabaleiro Martinez Filho
- Tesoureiro: Perisvaldo Pinheiro da Silva
- Diretor Social: Donizete Lima da Silva
- Suplentes Diretoria: Kiochi Castro Hossatani, José Albino Carpanêda, Eládio Alves Mendes, Manoel Messias Francisco de Almeida, Paulo Sérgio Lobo Porto
- Conselho Fiscal: José Rodrigues da Silva, Gilberto Costa Leite e Dilva Vieira Veloso
- Suplentes Conselho: Galdino Pinto da Conceição, José Aparecido de Andrade Vicente, Altemir Reis Prodêncio
- Delegado Federativo: Olindo Tanajura Meira

UMA CURIOSIDADE

SINDMINE, o nome legítimo da entidade, é quase ignorado. Mas, quando se fala em SINDICATO DOS MINERADORES, todos sabem de que “história” se trata.
 
Inicial | História | Diretoria | Estatuto | Acordos | Notícias | Eventos | O Alerta | Filiação | Contato | Webmail
 
Sindmineradores © 2009-2017. Todos os direitos reservados. Hospedagem e Desenvolvimento: HD Soluções Internet